sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

o bolo salvador






Algumas vezes o casal de idosos encomendava um bolo à vizinha, para ser entregue em casa. Naquela manhã a doceira telefonou, como combinado, mas não foi atendida.
Há dias não via a mulher na vizinhança e o pedido havia sido feito pelo marido, o sabor preferido da velha senhora.
Temendo incomodar, a moça tocou a campainha muitas vezes. A demora quase a intimidou, mas precisava cumprir sua palavra. Quando o homem abriu a porta com relutância, ela, acostumada a odores agradáveis, sentiu um cheiro fétido vindo do apartamento. Sem pensar, num átimo, empurrou a porta e adentrou a sala onde a criatura, já putrefata, sentada na poltrona, estava cercada de guloseimas por todo o lado.
Com voz fraca e tremida, o velho disse: já fiz de tudo para que ela ficasse forte e se recuperasse.  
 

em 15-02-2015

2 comentários:

Eduardo Oliveira disse...

Excelente conto, angela.

Angela disse...

Oi Dudu, fico feliz que tenha vindo aqui. O sinal aqui anda tão horrível que até perco a paciência de abrir a Internet!