segunda-feira, 28 de maio de 2012

Em fusão




tela de George Tooker




De um momento em diante - não sei precisar quando- nada mais compreendo do que leio. Diante de um conto, me parece estar lendo minha própria história. Sou sempre o personagem que alguém descreveu e a história é a minha. Confunde-me não saber se todos falam de mim ou se me percebo igual a todas as pessoas.



escrito em 27-05-2012

6 comentários:

dudv disse...

Interessante. às vezes me sinto assim.

Angela disse...

Sabe que lembrei de vc ao escrever?

Blog do Beto disse...

OLÁ.

MUIIIITO INTERESSANTE.
UMA PERGUNTA: O IDEÁLIA SAIU DO AR?
ABS DO BETO.

Angela disse...

Oi Beto, amigo.
Não, continuo com o Ideália, mas como os tempos, cada vez combinam menos com o "clima" da "ilha", não tenho postado. Mantenho os microargumentos pq escrevo sempre, mesmo quando não estou muito feliz.
Obrigada, vou renovar Ideália em sua homenagem. um abraço.

Renata de Aragão Lopes disse...

Acontece...

Beijo,
Doce de Lira

Angela disse...

Muito grata Renata!
Gostei muito de seus poemas e de sua imagem clara e límpida.
Um beijo.