sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Via Férrea



Durante as noites, sento-me à janela enquanto meus pensamentos se tornam paisagens. Locomotiva, diariamente vou e volto e paro nas estações quando adormeço por algum tempo. Nestas horas, novos passageiros adentram meus sonhos enquanto outros, com malas e bagagens, se vão para nunca mais.


escrito em 11-08-2011

2 comentários:

dudv disse...

Lindo.

Angela disse...

este conto foi inspirado pela janela de seu vídeo, um dos últimos.
Pensei que você fosse gostar mais do conto anterior, mas creio que nem o percebeu...