terça-feira, 19 de julho de 2011

Antes só...


Norman Rockwell - café da manhã - 1938

Vivia muito bem consigo mesma, se divertia em sua própria companhia. Ao casar ficou muito isolada. Seu marido exigia atenção integral e não sabia ser companheiro. Sem tempo para estar só, soube o que era solidão.

escrito em 18-07-2011

6 comentários:

Evilanne disse...

A solidão por vezes é necessária, afinal.
Escrevi algo parecido com esse assunto no meu blog ( http://levescontosbreves.blogspot.com/2011/07/ritual.html ). Diferente da sua personagem, a minha mesmo casada não deixou de buscar seus momentos sozinha.

Angela disse...

Evilanne,
A solidão, para alguns, é muito necessária; para outros é maldição. Talvez você não tenha percebido que, neste caso, a solidão se fez destrutiva, por sua obrigatoriedade dentro da parceria. Solidão imposta por alguém que não se relaciona, mas suga e abusa.
Deixei recado em seu lindo blog!

dudv disse...

A solidão acompanhada é a pior de todas as solidões, principalmente quando pode ser você mesmo.

Angela disse...

Dudv - é sim, a pior solidão,
só não entendi o que disse no continuação de sua frase:
"quando pode ser você mesmo".

dudv disse...

Esqueci do não. Quando você não pode ser você mesmo, sente-se mais sozinho. Era isso que eu queria dizer.

Angela disse...

Ok! eis como um não pode fazer falta! :D