domingo, 13 de fevereiro de 2011

Um jantar para Lívia

la traviata 66 cartaz da ópera


Cuidei para que a refeição fosse tão delicada e gentil quanto a jovem me parecia. Suaves iguarias, renda, porcelana e prata, finos cristais e o cardápio mais requintado e leve que pude imaginar. Lívia rejeitou todos os pratos. Com dedos longos e pálidos puxou para sua frente o arranjo colorido que ornava o centro da mesa e, uma a uma, deliciou-se com todas as flores.

escrito em 12-02-2011

4 comentários:

dudv disse...

Personagem estranhamente bela

Angela disse...

concordo Dudu, assim eu a imaginei.

Daniele S.F disse...

Impactantes e graciosas palavras.
Ignorar o óbvio, o prato que está posto a sua frente, para encontrar um vaso de flores...
Parabéns
Saudações literárias!

Angela disse...

Obrigada Daniele! Lívia não tinha prato à sua frente para ignorar, o jantar oferecido à ela foi, com toda a pompa, servido por garçons de libré e ela os rejeitou, a todos! :D
Apreciava flores, tão delicada e etérea.

O bom dos minicontos é poder saber, por exemplo, como você viu a cena!