quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Lívia e o meu jantar

Conium Maculatum - Cicuta


Depois te comer as flores do centro de mesa, Lívia passou mal até morrer. Desconhecendo sua preferência alimentar, não escolhi as espécies. O arranjo de ervilhas de cheiro entremeado com cicuta foi uma homenagem singela, tanto à delicadeza feminina como à sua paixão pela filosofia. Paralisada e gélida ela me parecia ainda mais bela. Pude então me deslumbrar com seu corpo virginal e ali mesmo consumar meu desejo até então rejeitado.

escrito em 15-02-2011

2 comentários:

dudv disse...

Forte, mas você escreva tão delicadamente que o conto fica belo, saindo da estética do bizarro, que muitos usam.

Angela disse...

Sim Dudu, muito obrigada pela observação. Contos com qualquer conotação sexual correm o risco de ficarem vulgares e grosseiros e acho que o sexo pode ser sempre belo, mesmo assim, um tanto mórbido.