sexta-feira, 30 de abril de 2010

Esperando a primavera



Ao sol invernal, pela sombra projetada na parede, qualquer passante mais sensível poderia perceber sua tristeza. Há tantos meses sozinho, sem servir a pessoa alguma, úmido e abandonado, o banco do jardim andava desejoso de que um velho, uma criança e casais de namorados ocupassem seu colo amplamente ofertado, aquecendo-lhe, desta forma, o corpo frio.

escrito em 28-04-2010

2 comentários:

dudv disse...

Uma pérola! AdoreiI

Angela disse...

Obrigada Dudv, vc parece ter preferência por textos mais líricos, não é?