segunda-feira, 27 de abril de 2009

Culpa

photobypanq





Por mais que se escondesse, mudasse de casa e de cidade, continuava a vê-lo por todo canto. Imensa sombra, em permanente ereção e sempre pronto a matá-lo. Ele sabia. O irmão enlouquecido queria sua vida em troca da prisão em que o trancafiara desde menino quando, sob coação, o fizera escravo de seus mais abjetos desejos.


Escrito em 26-04-2009

4 comentários:

dudv disse...

Terrível!Mas, como sempre, a narrativa maravilhosa!

Angela disse...

Dudv Eu também prefiro os terríveis!:D

Beto Guimarães disse...

Esse aí, nem na milésima encarnação,vai ter paz de espírito. Parabéns Ângela, pelo excelente texto.

Angela disse...

Beto Guimarães Será preciso mais? O cara não tem descanso e, o que é pior, o outro também não!
Obrigada, Beto!