segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Motivações



No escuro, em plena meditação, deixou o mundo externo e encontrou-se com o alguém que desconhecia. Não quis voltar. Deu as mãos a si mesma e embrenhou-se na senda do não ser. Por meses não houve o que a motivasse retornar. Aquilo era paz. Quando ouviu o som de seu bebê que nascia, abriu os olhos novamente.


Escrito em 08-11-2008

3 comentários:

eduardo disse...

Lindo!!! é um texto para sentir e não pensar...

Parabéns!!!

Angela disse...

Obrigada Eduardo
depois de tanto peso senti necessidade de postar algo mais terno.

ma disse...

Seu amigo Eduardo disse tudo.
Este conto é realmente lindo!!

Bem Haja Angela