quarta-feira, 16 de julho de 2008

O retrato da velha senhora

Janelas de Paris - foto de Fernando Rabelo


Todos os dias ao entardecer, o antigo mordomo abria a janela da sala e iluminava o ambiente para que o retrato de Madame pudesse ver e ser visto da rua.
Era o que determinava o testamento da Velha Senhora. E assim foi, até o dia em que o corpo de Armand Daumier, conhecido pintor, atravessou pela última vez a soleira do imóvel em frente.
Agora sim, Madame poderia descansar da espera. O Homem que amara por toda a vida e que a desprezara sem piedade, não seria de ninguém mais.

Escrito em 16-07-2008

4 comentários:

gambling game lottery disse...

I truly appreciate it.

eduardo disse...

Que história...

M.J. disse...

Olá!
Faz tempo que adicionei o Microargumentos no meu blog.
Agora passo aqui para convidá-la a visitar a comunidade Verso&Prosa, "Para os escritores e ou leitores fanáticos ou ocasionais, apreciadores de verso, prosa e toda a forma de escrita, passantes e afins."

http://versoeprosa.ning.com/

Apareça!
Abrs.
Maína J.

Angela disse...

Eduardo
Obrigada por comentar mas não sei bem o que quis dizer!

m.j.
Muito obrigada por tudo! Fico honrada com sua visita e com o link em seu blog. Já estive por lá e andei lendo algumas postagens e gostei de muita coisa! Voltarei sempre que puder. um abraço da Angela.