sábado, 19 de julho de 2008

Judas de baton

Oni nie wrócą - autor- monicaeva


Eu continuava ali, estupefata! Não sabia bem o que sentia nem o que pensava. Aliás, toda borrada de vermelho, pensar era impossível!
Fazia tempo estranhava o comportamento de Marina. Sempre que íamos ao toalete, ela me perguntava sobre minhas maquiagens e experimentava meus batons. Agora, quando cheguei na festa onde estaria com Dário, o encontro que eu esperava há tanto tempo, ela, minha melhor amiga, beijou-me deste modo intenso e apaixonado. Porque ela teria sugerido que eu usasse, logo agora, aquele novo batom indelével?


escrito em 17-07-2008

3 comentários:

dudv disse...

E será que o beijo não mrcou mais sua alma do que o batom nos lábios?

Adorei o conto.

ma disse...

Voltei Angela.
Como diria nosso amigo Zooroastro deixo neste conto o rasto da minha passagem.
Tal como seu amigo Dudv adorei este conto, o de Caronte e tantos, tantos que eu não lia desde o início de Junho.

Obrigado por tudo
beijos

Angela disse...

Dudv
deixei aos leitores a interpretação.
Marina queria a amiga ou a Dário?
De todo modo,acho que a moça ficou com a alma bem rubra!

MA
Que bom te ler por aqui! Sinal de que já está um pouco melhor!
Espero que nosso amigo deixe algum rastro dele em algum lugar! sumiu de novo! está muito triste, pobre e querido amigo...
Queria que uma Marina qualquer o despertasse!
Obrigada por tua boa vontade em vir aqui!