domingo, 11 de maio de 2008

Tarot

Autor- kicz maker


O horizonte, impreciso e triste refletia sua falta de perspectiva naquele mês, naquele ano, talvez em toda a vida. Nada mais fazia sentido. Atendendo ao chamado das sereias, caminhou para o cais. Foi então que os cães chegaram, barulhando e obrigando-a a mudar a direção do olhar. No sentido norte, a paisagem tinha limites e contornos.
Lembrou-se então do oráculo que consultara naquela manhã. O Louco. A súbita compreensão do Arcano, acabava de devolver-lhe a vida.



escrito em 06-05-2008

6 comentários:

dudv disse...

Bela história, mostra que se ficarmos desesperados demais e usar muito a razão podemos nos perder, a loucura é bom para aprendermos outras formas de vida.

Angela disse...

Dudv
No arcano zero ou 22 do Tarot, chamado o Louco, um cão morde o tornozelo da figura à beira do abismo. Este cão simboliza o instinto que traz a figura à realidade e a impede de saltar sem bases na Terra, na razão, nas coisas do mundo. Assim interpreto este símbolo e a pessoa da história desiste de saltar por causa dos cães e da "realidade nítida" dos limites!

Frioleiras disse...

excelente ...

Angela disse...

Frioleiras
obrigada pela visita!

ma disse...

É a 1ª vez que leio um conto seu sobre o Tarot e achei fantástico, assim como a imagem. A mulher ao longe ( mal se distingue ), os cães, o enorme cais que acaba por funcionar como um porto de abrigo.

O Louco simboliza também a inocência, e por isso gosto deste arcano, apesar das suas acções confusas e muitas vezes sem enquadramento.

De são e de louco, todos temos um pouco - é um provérbio português muito usado.
Beijos, Angela

Angela disse...

MA querida!
Bom te ler aqui já que o Zoo fechou, tristemente...
Nunca havia escrito nada sobre os arcanos do tarot. Foi esta a primeira vez e, como vc. também gosto muito deste símbolo! Tem tanta analogia com os peixes!
O que me motivou a escrita foi esta imagem que encontrei.
Estou aqui tentando me lembrar o ditado semelhante ao português, que temos aqui mas a primeira palavra que não é "são", não me vem à lembrança! um beijo.