quinta-feira, 6 de março de 2008

Faxina diária

desconheço o autor da foto




Sentia muito rancor. Construiu um aposento indevassável e à prova de som com música relaxante, instrumentos de percussão, um grande espelho, almofadas, e fotografias. Todo dia, por alguns minutos, chorava, berrava, xingava, socava e barulhava, livrando-se de todos os sentimentos excessivos. Saía leve, limpa e relaxada do seu banheiro da alma!





escrito em 27-02-2008

6 comentários:

eduardo disse...

As pessoas devem sempre fazer a faxina da alma ora berrando ora escrevendo...

Belo conto.

Angela disse...

dudv
Ora socando, ora relaxando, na perfeita sintonia com o que fazemos com o nosso corpo!
ogrigada!

Anônimo disse...

Um banheiro da alma , que coisa boa.

Só tenho medo que a alma fique demasiado enxaguada, e depois não me sirva.

Gostei deste conto.

MA

Angela disse...

Ora MA!
Não precisa exagerar! Basta limpar o que for excesso e deixar tudo que for bom, bonito e agradável
Quem sabe um poucochinho de raiva ou alguma tristeza gostosa... Ao gosto do freguês!

Anônimo disse...

Pode crer, Angela.
Nem sempre sou tão querida, também me dá uns grandes destemperos. Mas depois passa.


:) MA

Angela disse...

MA
Gente querida todo tempo ou é falsa ou é muito aborrecida!
Ainda bem que voce tem desenterias emocionais! Assim, livra-se do que "caiu mal"! O banheiro serve nestes casos...