sexta-feira, 7 de março de 2008

Na cama com Lulu

Young Girl Playing with Her Dog - tela de Fragonard


Entre todos os brinquedos a menina preferia seu cãozinho.
Por mais que a mãe reclamasse, antes de dormir, ela servia a comida de Lulu sobre a cama. Mas ninguém suspeitava que Lulu sorvesse avidamente a sobremesa, sob a camisola da menina.


escrito em 06-03-2008

13 comentários:

eduardo disse...

Conto impactante... Gostei.
Gosto da sua liberdade e suavidade em escrever certos assuntos.

JG disse...

Este conto é um achado de sensualidade inocente e é o que a imagem sugere.
Faz-me lembrar Woody Allen quando escreve que "quando era ainda muito jovem para ter um carro, transava com as moças no banco de trás das bicicletas".
:))))))

Angela disse...

Eduardo
Sou livre, apenas. Não devo nada a pessoa alguma.

j.G.
Obrigada amigo pela orientação quanto ao autor do quadro que postei. É bom lidar com gente educada e culta.
Só não sei se há inocência!:D

Bruno Mocelin disse...

Olá, Angela...Tempos, hein?!
Gostei do conto, curto surpreendente.
Esses tempos estão meio corridos.
Mas arrumo um pouco pra ver aqui e me divertir.
Até.

Elcio disse...

O q me chama a atencao em seus textos, alem do extremo bom gosto é o seu poder de sintese.

É isso ai.
Bjs

Angela disse...

Bruno Mocelin
Grata! Bom saber que se diverte com estes contos. Eu me divirto escrevendo!
Está tudo corrido e ainda perdemos textos e comentários por conta da instabilidade do Sr Google com seu complexo de gigantismo!

Elcio
Muito obrigada por suas palavras. Não sei se já te contei que a síntese foi minha inimiga nas notas da faculdade. Os professores gostavam de verborragia! Outros tempos...

Anônimo disse...

Muito forte, com muito impacto,
Mas não inocente.
Lembra alguns quadros da Paula Rego ( Menina feia levantando a saia para o cão )

MA

JG disse...

Ao reler o meu comentário, vi que me faltou uma palavra:
Em vez de "sensualidade inocente" queria dizer "sensualidade falsamente inocente".
Tal como Woody Allen com a sua aparente ironia inocente.

Angela disse...

De uma semana pra cá está quase impossível escrever comentários. É um tempo perdido, você escreve e perde tudo em seguida! Bem, vou tentar de novo!

MA
Que bom estar de volta! Os domingos são mais propícios para você não é?
Não conheço os quadros desta artista. Vou buscar na Net. Te digo então! Obrigada.


J.G.
Inocência , de fato, seria a menina comer um doce, não é?
Neste caso, até acho que Woody "Allien" pode ser mais inocente! :D

Angela disse...

MA
Fui ver os quadros desta senhora e fiquei terrificada! Que horror! É tudo muito histérico e feio. Como a cara dela´, é assim também. Parece uma pessoa doente, acabada e tem, onde pude ver, uma expressão de doente de histeria, de fato!

Anônimo disse...

Os primeiros quadros , reproduções, que eu vi dela foram variações sobre este tema e achei-os horríveis.
Não conheço a obra da Paula Rego em pormenor, mas a minha visão ficou sempre condicionada por estes quadros.
Quando li este conto lembrei-me dos quadros dela, porque são variantes do mesmo tema, mas não há comparação possível.
O conto da Angela é uma fina escrita cheia de subtileza, acompanhadao por uma delicada imagem. O leitor ( eu) presume o final e considera que a " estória" não é inocente.


Um beijo , MA

Anônimo disse...

Estamos no final do 2º período, com avaliações, é uma época de muito trabalho.
Para além disso, os professores portugueses estão numa grande luta contra este ministério.
O meu tempo tem que ser muito bem repartido.

Um beijo Angela.

MA

Angela disse...

MA
Acho que a cara dela, da pintora, foi o que mais me impressionou e os quadros, vi no google imagem- as mulheres são retorcidas, feias, angustiadas...
Entendi bem o que quis dizer com a semelhança, a motivação para os quadros, o tema, é semelhante!

E, com este tempo curto, só posso agradecer, ainda mais, o carinho de suas visitas! Um beijo gratíssimo.