domingo, 17 de fevereiro de 2008

Fatalidades

imagem a partir do desenho Ratatouille




Sentia necessidade mórbida de contar os horrores da guerra. Sua mulher cozinhava bem. Abriram um restaurante. À mesa dos clientes, ele contava histórias terríveis enquanto ela, sozinha, fazia cada prato. Para descansar, ela deixava a cozinha e fixava os clientes, o sentimento transparente no olhar sofrido. ‘Como comiam tão rápido, o produto de seu árduo trabalho?’ A cada novo pedido, ele comandava, pesaroso: - Mais um nhoque! Mais uma lasanha! O lugar atraía pelo inusitado, mas conseguiram fechá-lo. Afinal, apreciavam o fracasso!



escrito em 19-01-2008

5 comentários:

Bruno Mocelin disse...

Muito bom, Angela. Chegou a arrepiar.
Tenho muito gosto por assuntos e histórias de guerra. Das pessoas, dos fatos e dos resultados.
Beijo

dudv disse...

Tem pessoas que gostam do fracasso.

Angela disse...

Bruno mocelin
Este foi um caso real que me foi contado por amigos. Acho que as pessoas estavam presas no passado!

Dudv
É sim, Dudv! Há pessoas que parecem ter culpa se são felizes e seus empreendimentos dão certo!

125_azul disse...

Os mórbidos e suas nuvens de chuva particulares!

Angela disse...

É assim, amiga 125azul!