quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Gabriel

fligboy - desconheço o autor





Enquanto seu corpo caía, o rapaz tinha certeza de ter encontrado a leveza que sempre buscara. Sim, ele sempre fora um anjo aprisionado.





Escrito em 13 -08-07

3 comentários:

dudv disse...

Muito interessante.
Mostra um outro sentido da morte, a libertação. Bem esta é mimha interpretação.
Gostei.

Elcio disse...

Lembrou-me o final do livro O menino do dedo verde...rss

É isso ai.
[ ]´s

Angela disse...

Dudv
É sim! acho que a morte é uma libertação. No caso do gabriel então... ele optou por deixar de sofrer deste modo! Eu senti muito à época, mas foi sua escolha. Ele tinha pouco mais de vinte anos!

Elcio
Você aí outra vez! obrigada. Sabe que não me lembro deste final? Vou reler pois esta foi uma história real que muito me emocionou.
um abraço.