sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Amortecimento

morro da caixa d'água - Rio de janeiro


- Não tem jeito mesmo! Os tiroteios não vão parar, nem os fogos avisando que a droga chegou no morro. A gente não dorme, não consegue ler jornal ou ver TV. Não podemos mudar daqui. Vou tapar os ouvidos... Bem que podiam tirar o som das armas, deixar os fogos só cor e imagem. Então, ficaria tudo bem!


escrito em 13-10-2007

2 comentários:

dudv disse...

"deixar os fogos só cor e imagem. Então, ficaria tudo bem!"
Na minha opinião, acho que esta última parte do conto deu uma imagem poética perfeita. Realçou um texto que no início parecia que seria um desabafo e virou um texto literário.

Ps: Eu acho muito difícil escrever, tenho receio de ser mal interpretado. Não estou diminuindo o desbafo e a dor da pessoa. É que gosto de observar o estilo do texto e no final da micronarrativa, você colocou uma imagem poética muito bonita e com isso fez um texto literário. Bem, é isso. Tomara que me expressei bem desta vez.

Angela disse...

Dudv
Não se preocupe tanto assim! Sua perspectiva é literária. Eu escrevo sem pensar nisso e acho interessante que você possa ver assim. Eu só penso no amortecimento, na inconsequencia e egocentrismo que este estado repetido da realidade,acaba gerando nas pessoas... Elas se acomodam, se desligam e só pensam em negar o que se passa! Mas é a minha intenção. Se ficou poético, melhor! Obrigada por deixar seu pensamento aqui.