segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Comunhão

imagem em www.pequenosdelitos.files.wordpress.com



Tinha verdadeira obsessão pela mulher. Não suportava a idéia de se afastar dela um só momento. Quando ela quis freqüentar a Igreja, ficou indócil enquanto não a acompanhou à missa. Nas palavras da consagração, o padre deu a solução para suas vidas: “Quem bebe meu sangue e come e minha carne, permanece em mim e eu nele”. Um cálice de sangue e um assado ao dia! Logo seriam um só para sempre!


escrito em 24-12-2007

4 comentários:

125_azul disse...

Arrepiante. Mas que ficarão juntos para sempre, ninguém duvide...

dudv disse...

|Porque sempre queremos devorar a pessoa amada?

Edson Marques disse...

Adorei!


Soube da história de um ciumento de Ubatuba que um dia assou a "galinha" na churasqueira da cobertura...

Em nome da moral burguesa.



Abraços, flores, estrelas..

Angela disse...

125
Ah este desejo intra uterino...!
Mas, uma parte sempre vai para os esgotos... todos os dias...:D!
Acho que se o cara pensasse nisto acabaria como o da privada dentro da árvore!

Dudv
Quem queremos, cara pálida? Eu nunca quis. A diferenciação e a individualidade sempre foram importantes mas... há quem tenha sonhos desta volta à unicidade perdida!


Edson marques
Uauuu! que escabroso! E algum vizinho sádico ficou espiando? Hitchcock adoraria!
isto dá outro microconto!