domingo, 23 de dezembro de 2007

Insensatez urbana

foto de rua- Rio de janeiro



Quando nasceu, sua região era silenciosa e calma. Noites tranqüilas, o sono profundo acariciado por raios de luar, só despertava com o gorjeio dos pássaros. Aos poucos a cidade foi crescendo, ocupando espaços. As luzes elétricas e o barulho dos carros começaram a tirar o sossego das noites, não mais permitindo o repouso reparador.
Hoje, pelas artes da modernidade, ela não tem mais silêncio nem quietude. Poluída, sob sons constantes e desenfreados, tornou-se um ser aflito, nervoso e insone. E o desespero chegou desde que, em pleno verão, cobriram seu corpo com pequenas lâmpadas que, assim como erupções de varíola, a deixam com febre.
Feéricamente iluminada, sem um instante de repouso, a Árvore enfeita o Natal desvairado dos Homens.


escrito em 23-12 -2007

3 comentários:

dudv disse...

realmente é uma tristeza.

JuliaML disse...

que o seu Natal seja a antítese desse...

beijo amigo

Angela disse...

Dudv
Acho que a maioria das pessoas nem se dão conta disto! Apenas importam os esquemas.

Obrigada Juliaml
E que haja muita paz e alegria em seu coração.