segunda-feira, 8 de agosto de 2016

NOTURNO


 

Não mais escrevia. Deixava o jornal sobre a mesa e as letras, recortadas, se organizavam durante seu sono sobre o bloco.
Ao acordar, ali estavam poemas, recadoshistórias, como se alguém os tivesse escrito. Não se sabia sonâmbulo mas, sobre o papel, dia após dia, também estavam os sonhos que acabara de sonhar.

07-07- 2016

2 comentários:

Eduardo Oliveira disse...

Este é lindo!

Angela disse...

Obrigada Dudu! tenho sonhos incríveis e gostaria que se auto escrevessem. Melhor ainda se filmados. :D