quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

VIOLETA




Quando a conheci pensei que seu nome, o de uma flor tão delicada,  não combinava com seu porte exagerado nem com a alegria exuberante de seus modos.
Agora que ela se foi, ficou um vazio imenso, maior que seu tamanho, mas tão suave, gentil e inesquecível como seu nome.
 
em 11-02-2015


Pela Violeta que foi ser ainda mais feliz em 08-02-2015

2 comentários:

Eduardo Oliveira disse...

Bela homenagem!

Angela disse...

merecida! É incrível como em tão pouco tempo uma pessoa pode deixar tal vazio!
Ela foi ímpar!