quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Do Fundo da Lagoa



Surreal Photography by Arno Rafael Minkkinen

Deixava passar feridas e mágoas como se as tivesse gravado em água.
Era considerado um sábio Zen.
Um dia, uma forte borrasca trouxe a tona os resíduos sepultados no fundo da alma. Seu plácido lago tingiu-se de negro. A primeira a ser morta foi a mãe.

em 26-12-2014

2 comentários:

Eduardo Oliveira disse...

Intenso. Gostei deste.

Angela disse...

Oi Dudu!
comecei o ano limpando os restos...:D
Um beijo e obrigada.
Angela