sábado, 25 de outubro de 2014

Terapia

Reflection
 
Não tinha companhia e sua mente vivia povoada de vozes e cantos sem resposta. Quando entrou nas águas da lagoa, pode encontrar aqueles que o habitavam. Então conversava com eles e os acariciava por muitas horas. Só deixava as águas para dormir. Adoeceu, morreu gripado mas, nunca mais se sentiu só.
 

21-10-2014

2 comentários:

Eduardo Oliveira disse...

Esse conto é lindo, tocou minha alma.

Angela disse...

sua alma é como a lagoa!