domingo, 30 de dezembro de 2012

Yemanjá


 
Estava ali, entediado como sempre,  esperando o ano novo chegarVivia a esperar pelas pessoas, pelos fatos, pela vida. Talvez se fosse atrás de algo o tédio passaria... 

Entrou no mar. Na primeira onda tropeçou e afundou na água escura com uma sensação boa de medo e prazer. Não sabia nadar, mas ao sentir aquela mão na sua, puxando-o para algum lugar ainda mais fundo, deixou-se levar sem resistir, sem questionar.

Afinal... era sua natureza.

escrito em 28-12-2012

4 comentários:

Em companhia do luar disse...

tudo bem com voce? como foi o natal?
espero que tenha sido tranquilo e com muita festa com a familia.
passei para fazer-lhe uma visita que faz tempo que nao a faço. estava com saudade aqui.
passei tambem para lhe desejar um ano novo repleto de grandes vitórias, repleto de disafios, com paz e muita saude, alem disso desejo que este ano continue nos presenteando com estes textos que me deixam encantado, questionado...

um grande abraço
cuide-se

literaturaearte0809.blogspot.com
ns_rafael

Angela disse...

Obrigada Rafael! O melhor da vida para você e a capacidade de curtir o que vier!
Um abraço amigo,Angela

dudv disse...

Triste, mas um bonito conto.

Angela disse...

è Dudu, também acho triste tudo que se desfaz...
desejo a você um ano cheio de idéias bem realizadas!

Até logo.
com carinho, Angela