sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Ela, sempre...



Greta Garbo, 1925, by Arnold Genthe

 
Por um instante, tensa, olhou a figura que, de costas, se parecia com ela. Discreta, ombros arqueados, cabelo cacheado, mas sem um fio branco. Mulheres tentam disfarçar o tempo com tintas...

Suspensa por aquele instante, da mesma forma como tem estado todos estes anos (se disse, obrigada a concordar com seu bom senso interior), até que um carro parou e ela sentou na frente sem se voltar. Atrás do vidro escuro, o perfil confirmou a suspeita

Quem a estaria buscando,  aonde iriam? O amor de hoje deve ser como todos os outros, também fugaz, desejou. Mas não há  tinta que disfarce o medo da solidão...

escrito em 08-11-2012
 

2 comentários:

dudv disse...

Excelente!

Angela disse...

Oi Dudu, acho que vc sempre entende e gosta de minhas histórias sobre Maria!
agradeço muito!