sexta-feira, 30 de março de 2012

Despacho

Tela de David Ligare
 


Noites a fio debateu-se em pesadelos. Ao amanhecer, ainda trêfego, desfez-se dos lençóis para se livrar da maldição. Nunca mais sonhou.
 
escrito em 22-03-2012
 

2 comentários:

dudv disse...

Gostei. às vezes, quero estar vazio para encontrar paz.

Angela disse...

No caso do conto, o personagem ficou despido da capacidade de sonhar. Eu acho que há que acatar o que é difícil para ter o que é bom.
Não dá para querer só o bom e o fácil!