quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O solitário

Gravura de Gustave Doré - Divina Comédia - Inferno - canto I


Sonhador tímido e sofrido, ao buscar seus próprios caminhos, pareceu aos demais louco e rebelde, mas foi apenas ele mesmo e sua busca. Os que o seguiram pareciam doidos, mas foram tolos imitadores sem vida, esvaziados de si mesmos. Ele se fez eterno e os outros... Que outros?

escrito em 27-11-2011

6 comentários:

Juan Yanes disse...

Liberarnos de los que nos liberan, para ser libres... Me suena todo eso a los místicos españoles del siblo XVI, Fray Luís de León, San Juan de la Cruz...

Angela disse...

Juan,
quanta honra me dás com sua presença aqui! Que bela frase a que deixou aqui.
Nada sei de misticismo e bem pouco de história.
Este texto me veio pela atitude de alguns que me soa falsa e diversa dos buscadores autênticos, sem máscaras. Como se julga pela aparência e como é fácil nomear e rotular pessoas e comportamentos...

dudv disse...

Gostei do texto Angela, ser livre e autentico é tão difícil... Belo conto.

Angela disse...

Sim Dudu, quanta gente autêntica é tida como louca... e quantos imitam outros para serem diferentes e nada conseguem com comportamentos falsos, nada mudam na sociedade, são só tolos rebeldes :(

Ana M disse...

muitas saudades de vc, querida, queria tanto poder estar aí. bisouxxx

Angela disse...

Então vem querida Ana!
Vem pra perto do mar...
muito carinho procê.