quinta-feira, 17 de novembro de 2011

As coisas perdidas estavam por aí a procurar seus donos. 2

O cartão

Onde estaria a moça que escrevera palavras doces sobre seu espaço florido? Tentava reconhecê-la em vão. Agora ela largava palavras rancorosas sobre pedaços arrancados de blocos.

Quando se percebeu no fundo da gaveta, amassado e coberto de , andou pela casa e parou sobre a mesa à frente da nova máquina iluminada que, pelo tempo de afastamento, desconhecia. Foi então que se viu copiado para dentro daquela tela brilhante e não mais escapou. Sentiu-se como artista de cinema, despertando em várias outras casas e sendo admirado por muitos olhares.

2 comentários:

dudv disse...

Adorei este!

Angela disse...

Parece com nossos momentos, não é?