domingo, 31 de julho de 2011

Tramas

esperando - quadro do pintor Alma Tadema



No sonhar de Penélope me deixo, tecendo a renda da esperança, o momento seguinte, o que virá logo depois em outro espaço e tempo.

Não tardes, pois meus fios embranquecem e quero que me vejas bela. Mas, cedo ou tarde e, mesmo noutra veste, me reconhecerás entre todas as noivas da esperança, pela aura deste meu amor do qual és tão íntimo.


escrito em 12/04/1982

2 comentários:

dudv disse...

Achei interessante, por que mostra como temos ecos de outros indivíduos do passado. Essa é minha interpretação.

Angela disse...

Sim, e menciono - "e mesmo noutra veste" que pode ser outra vida, outro corpo, outra história... e sempre se repete.