terça-feira, 29 de março de 2011

O Som da segurança


Caminhava pela rua quando um som diferente e agradável me despertou a atenção. À minha frente, uma cega agitava sua bengala branca, ora com vigor, ora suavemente, entre o chão e o muro. Percebendo que dali partia encantadora melodia, perguntei o que havia em sua bengala. Soube então, que a moça, compositora, perdera a visão quando se preparava para estudar no exterior. Passado o choque e a depressão, aceitou, serenou. Seu ouvido havia sido treinado mas, sem a visão, passou a perceber os sons de forma bem mais aguçada. Retomou a carreira deixando-se guiar por suas composições.


escrito em 26-03-2011

2 comentários:

dudv disse...

O ser humano tem muita capacidade para se adaptar. O conto mostra belamente isso.

Angela disse...

É sim Dudv! Obrigada. Tive dias agitados e as coisas ainda não foram para seus lugares.
Neste dia 31 de sua postagem, completei mais um ano. Tô crescendo...:D
bj grande.