terça-feira, 22 de março de 2011

Comportamento atávico

interferência sobre foto da peça O Pelicano

Quando nasceu o pai estava na guerra e passou anos sem conhecê-lo. Neste tempo desenvolveu forte relação com a mãe. Ao vê-la sofrer, sentindo-se culpado, delicadamente tentava compensar sua infelicidade e solidão fazendo-lhe companhia e todas as vontades. Quando casou, em pouco tempo abandonou o papel de esposo, abdicando das funções de parceiro e amante, ocupando-se apenas em tornar-se, uma vez mais, o filho dileto.


escrito em 16-03-2011

4 comentários:

Moita disse...

Angela

O que pode acontecer; acontece. rss

O filho dileto da esposa, mas sem abandonar as funções de parceiro e de amante, pode se bom. rssssssssss

Estou passando aqui também pra responder a sua pergunta lá do Mínimos. "A moita é moita de que?

A Moita tem de tudo. Passe lá e passeie por ela. A Moita é espaçosa. kkkkkkkkkk

1 Cheiro

Angela disse...

Obrigada Moita e, fica nela pois o caso é de filhotice aguda, nada de intimidades com esposa desde que ela tornou-se mãe. A santa mãe, intocável! Este dodói é bem mais comum do que se imagina!

dudv disse...

Conto profundo, gostei.

Angela disse...

Obrigada Dudv. Muitas mulheres sofrem com este abandono, principalmente após o advento da prole. Tem muito Homem que projeta a mãe na esposa e ele vira meio Virgem Maria!