quinta-feira, 24 de março de 2011

Cochilos espertos


Quando criança via os velhos cochilando sentados, as cabeças pendentes e ficava imaginando se estariam cansados ou sem graça de viver. Agora que envelheceu e o sono vence o prumo do pescoço, sabe que caminha pelo passado unindo fios desgarrados do novelo para que a vida bordada faça sentido e gozo quando terminar a exigência de acordar.


escrito em 23-03-2011

4 comentários:

dudv disse...

lindo!

Angela disse...

obrigada Dudu! Sempre espero que um dia Você me critique ou não goste do texto e diga, com todas as letrinhas.
um bj.

Escrivaninha disse...

Lindo, lindo.
Há uns tempos visito este espaço e gosto de várias coisas, mas, desta vez, era mesmo impossível calar o encanto.

Angela disse...

Muito obrigada por este comentário tão doce. Encantou a mim!