quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

O inventariante

Guerra - REUTERS foto de Carlos Barria- agosto 2009


Era uma alma experiente e, por isso, tinha sido escolhido para mais uma estúpida batalha. Passando entre os corpos dos combatentes, se alguém ainda estivesse vivo, o tomaria como um fantasma entre os escombros. Desta vez tinha dificuldade para cumprir as ordens recebidas. Todos eram muito jovens, o ataque tinha sido rápido e a maioria parecia apenas dormir. Como avaliar as almas que ainda precisavam ajuda para aceitar a morte e quais as que estavam serenas em seu repouso eterno?


escrito em 04-01-2011


2 comentários:

dudv disse...

Triste

Angela disse...

haverá alguma guerra que não seja?