quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Aflições



Uma boca com fome, sem saber de que, ouviu a alma que dizia: - sorria.

Mas a boca, aflita, mordia a língua, cerrava dentes, sangrava os lábios, sem saber porque.

Então o olho viu uma outra boca que sorria e se abriu, e a alma acompanhou,

pois ainda não sabia que, aflita, também teria fome e sangraria.


escrito em 14-12-2010


2 comentários:

dudv disse...

Lindo

Angela disse...

Obrigada Dudu.
Deste eu gostei.

Estamos sem conexão com a Internet a três dias e agora o blogger não me deixa postar letras maiores, a não ser sublinhadas deste modo!