quinta-feira, 4 de março de 2010

Flatulando

Balão excelsior-III- a 40 mil pés


Obeso, não conseguia caminhar sem bengala, mas sonhava ser leve e voar. Ao descobrir que se alimentar com couve de bruxelas produzia tantos gazes que a sensação de peso reduzia, rejubilou-se. Sentia-se mais vazio e, quando saia à rua, usava a bengala para se prender aos postes e às grades dos portões. Uma noite tomou uma sopa suculenta e deixou-se levar soltando a bengala e os gazes. Como sempre quis, subiu como um velho balão. Esvaziava e sibilava enquanto volteava ganhando o espaço. Até hoje não voltou a casa e ninguém sabe onde caiu.

escrito em 02-03-2010

2 comentários:

dudv disse...

Adorei!

Angela disse...

Imagino que deve ter sido divertido!