quinta-feira, 25 de março de 2010

Em silêncio





Ela me fitava insistentemente. Parecia querer dizer alguma coisa e meu parceiro de mesa afirmou: - ora, está te paquerando! Estava acompanhada e o clima entre eles era tenso. Fui ao banheiro. Lavava as mãos e ela entrou, caindo em meus braços pesadamente. No instante pensei que meu amigo tinha razão, mas quando escorregou e foi ao chão, vi sangue em minhas mãos e entendi seu pedido de socorro.


escrito em 22-03-2010

4 comentários:

dudv disse...

Perfeito!!

Silvana Nunes .'. disse...

Muito bom. Interessante o seu cantinho, gostei muito.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um bom dia para você.
Saudações Florestais !

Angela disse...

Obrigada Dudv!

Angela disse...

Silvana,
gostei de suas escolhas, dos poemas. Adorei o registro das histórias, lendas, assuntos que precisam ser lembrados e conservados.
Eu agradeço por mim e pelos meus netos.
Grata por vir aqui e se dar a conhecer.