sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

estabilidade profunda

trabalhadora - imagem encontrada na web


Teve infãncia pobre e sem segurança. Cresceu determinada a conseguir emprego estável mas sem rotinas. Estava acostumada aos imprevistos da vida e, de alguma forma, a pobreza sempre trouxe desafios. Foi trabalhar no cemitério. Seus mortinhos, como chamava seus clientes, eram estáveis e silenciosos. Ficava ao ar livre, sem patrão, sem horários e sempre havia aumento e renovação: à cada exumação, novos clientes. E os imprevistos estavam lá. Os traficantes do morro próximo guardavam as drogas dentro de túmulos ameaçando sua segurança pessoal.

escrito em 04-02-2010

2 comentários:

dudv disse...

história bem real!

Angela disse...

É sim! esta moça é uma super negona que cuida dos túmulos pra mim e está sempre rindo, feliz da vida!