quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

um toque diferente



Apreciava minicontos, mas ao ler livros no gênero, ficava insatisfeito porque acabavam logo. Quando escreveu um livro, desejou que as pessoas saboreassem seus contos, se detivessem mais nas histórias que criara, tivessem uma relação mais sensorial com sua obra. Publicou em Braille.


escrito em 07-12-2009

5 comentários:

dudv disse...

Magnífico! Sabe que estou sendo sincero.

Angela disse...

A única coisa que atrapalha os minicontos, para mim, é sua ingestão fácil e rápida. Fácilmente se lê e facilmente se esquece. Tão efêmeros quanto nosso tempo.
Um dia ainda vou me dedicar a continuá-los e ver no que dá!

dudv disse...

Engraçado, eu acho este conto perfeito, na medida certa. Mas, a obra é sua e não vou me intrometer.

Angela disse...

Acho que não entendeu o que escrevi. Não falei deste conto, mas dos minicontos, em geral. Tenho vontade de continuá-los, desenvolvê-los, todos ou qualquer um e ver como ficam.
Afinal, embora te pareça perfeito, ele fala , exatamente, do efêmero, não sei se alguém relê um livro de minicontos!

dudv disse...

Eu releio. Entendi agora o que quis dizer.