quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Contrabando

GAUDI DETALHE DE MOSAICOS



Viajava com o mínimo de bagagem aparente. Entretanto, se algum dia passasse pela balança seria preso e teria que pagar um excesso inominável. Ninguém jamais pensou em revistar seu coração, pensamento e desejos, quase tão cheios de seres, afetos e imagens quanto sua memória. Esta só esvaziava quando ele depositava em traços, cores e palavras as riquezas que os países e seus fiscais ainda não sabiam avaliar.


escrito em 30-10-2009

3 comentários:

dudv disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dudv disse...

O que dizer? maravilhoso este conto. Vai ao encontro de tudo que estou pensando neste momento. Identifiquei-me com o conto.

Angela disse...

Dudv
Que bom! fiquei contente que tenha se identificado com o texto.