sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Espia conclusiva

fondo6Pro


O psicanalista marcava suas consultas bem espaçadas. Do consultório, gostava de observar os pacientes na sala de espera. Aprendia muito sobre a gestação deles, pois uma vez sozinhos no pequeno espaço podiam reproduzir sentimentos e atitudes da vida intra-uterina e do parto. Uma tarde, em seu vão de espia, deu de cara com um novo paciente que o examinava. O homem também precisava de companhia. Assim como o terapeuta, também tivera um irmão gêmeo!

escrito em 30-10-2009

6 comentários:

dudv disse...

Muito bonito!!! Quem não precisa de companhia?

Angela disse...

dudv
me parece que você não entendeu esta história. Quem sabe não fui clara o suficiente?
Quanto a precisar de companhia, muitas pessoas não precisam, outras tantas detestam e adoram estar sós!

dudv disse...

Realmente, acho que interpretei errado. Detesto quando eu faço isto. Parabéns pela publicação no site Escritoras suicidas.

Angela disse...

Dudv
Muito agradecida!
Graças a seus comentários pude
re-escrever este conto de forma mais clara.
Viajei e nem percebi que não dei recursos aos outros para entendimento!
Me diga agora se deu para entender?

dudv disse...

pra mim, ficou mais claro. Belo conto!!

Angela disse...

Dudv, muito obrigada!