quarta-feira, 6 de maio de 2009

Um anjo protetor




Acordou no hospital, longe da mãe e muito assustada. Não largava a boneca e repetia com sua voz pequena e doce:
- obigada, obigada. Ela e a mãe tinham chegado muito feridas depois do bombardeio que destruiu o quarteirão onde moravam e, de fato, só havia sobrevivido porque a boneca que abraçava amorteceu os estilhaços da bomba que caíra tão perto.

Escrito em 05-05-2009

2 comentários:

dudv disse...

Protegeu com ternura. os brinquedos podem ser anjos. Lindo!!

Angela disse...

Sim, dudv E, com esta carinha, já imaginou o que passou, de fato? Pobres pequenos em meio à loucura dos homens!