sábado, 7 de março de 2009

Quem tem amigo...



O marido, policial correto, foi morto num assalto e ela foi trabalhar como vendedora ambulante para sustentar-se e à filha adolescente.A bolsa pesada e os apetrechos da barraca são montados em frente ao prédio onde o porteiro, solidário, guarda as camisetas coloridas. Uma tarde, cumprindo seu dever moral e cívico, policiais apreendem o material exposto e, não satisfeitos, invadem o prédio onde, sob ameaças, levam o que ainda restava. Dia seguinte, corre a notícia do assalto ao carro da polícia. A viatura foi encontrada peneirada e houve distribuição de camisetas às crianças da favela. Sob a porta de sua casa, um gordo envelope permitiu a reposição do estoque 'apreendido'.

escrito em 06-03-2009

2 comentários:

dudv disse...

Histórias da vida.

Angela disse...

dudv

Da vida, nesta cidade de M....!