terça-feira, 10 de março de 2009

Forragem




Além de comer sem parar enquanto escrevia, importunava os colegas de trabalho enviando mensagens tolas, escritas com erros inadmissíveis e ainda dizia em altos brados que não o aborrecessem, pois não havia a menor chance de tentar escrever melhor. No dia de seu aniversário, deixaram sobre a mesa de trabalho um teclado coberto de alfafa verdinha. Ele não entendeu!



escrito em 10-03-2009

2 comentários:

dudv disse...

Dizem que o burro é mais feliz... Não sei, o conceito de felicitade é tão vasto. Gostei do conto, faz pensar sobre o momento de paramos para escutar o que o outro tem a dizer.

Angela disse...

dudv
Não sei se o indivíduo burro é mais feliz, mas certamente não atinge as profundesas onde mora o lodo que pode tornar-se petróleo ou nutrientes de flores e mais!
Neste caso, a criatura é burra no sentido de emperrar, empacar, e não ter interesse em mudar ou aprimorar-se!