sexta-feira, 5 de setembro de 2008

O Legado

blog.uncovering.org_bonecas


Corina sustentara sozinha sua única filha e agora cuidava da neta para que a moça pudesse trabalhar. A menina, quieta e solitária, sumia de repente e a avó rodava a casa chamando-a em vão. Quando aparecia, sorrindo de modo estranho, tinha facas e garfos nas mãos. Por mais que perguntassem, a menina não falava, apenas ria seu estranho riso.
Com sacrifício, presentearam a garota com muitas bonecas, na esperança de que abandonasse as brincadeiras com objetos perigosos. Mas, as bonecas sumiam, assim como agulhas de tricô e talheres surrupiados das gavetas.
No dia em que uma chuva forte empoçou o porão, tiveram que fazer uma obra radical nas bases da velha casa. Foi então que, estarrecida, a velha encontrou as bonecas da neta destroçadas, entranhas abertas, espetadas pelas facas e agulhas de crochê.
A casa de Corina sempre fora uma clínica de abortos.





Escrito em 05-09-2008

2 comentários:

dudv disse...

Gostei muito. Confesso que tive que ler mais uma vez,não por culpa do conto, que está muito bem escrito, é que as vezes a cabeça falha. Acho muito interessante esta abordagem que você faz sobre o sinistro ou a tragéida. É lírico, sensível e inteligente. Que legado terrível!!!

Angela disse...

Obrigada Dudv!
Os legados emocionais me interessam muito. Mais do que os físicos, pois estes são palpáveis e estudados. Acho que as impressões que carregamos na memória genética do que foi vivido por nossos ancestrais, muito mais sérias e fortes porque imensuráveis!