quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Crimes domésticos

acordar para o mundo - grENDel


A mãe sempre trabalhou para sustentá-lo. Tímido e solitário, na infância brincava com o gato. Na adolescência começou a ler e passou a viver através dos personagens, a identidade de cada um tomava conta de seu corpo. O coração acelerava com as emoções deles; quando comiam tinha fome e seus atos corriqueiros eram copiados à risca. A tragédia que lia no momento começou a amedrontá-lo. Já tinha tentado largar o livro e, aflito, o escondia de si mesmo. Afinal, não resistiu e voltou à leitura. Primeiro matou o gato. Hoje, a mãe.


Escrito em 12-08-08-03h05'

2 comentários:

eduardo disse...

Um pessoa sem personalidade...

Gostei.

Angela disse...

Obrigada Eduardo
Mas, o que seria ter personalidade? Acho que este rapaz tinha a dele! Uma personalidade impressionável, talvez!