domingo, 1 de junho de 2008

Urano e Gaia

Plaża joginów-foto de kicz maker


Leve, mutável, colorido, ele se encantou com a seriedade dela: concreta, estável e sóbria. Embora fria, ela se apaixonou por aquele tonto que mudava à cada instante. Deixou que a água a envolvesse, refletindo seu amado.Êle, ao vê-la tão mansa, azul, à sua imagem, deitou-se sobre ela e a cobriu. A vazante os devolveu à realidade. No ventre da mãe, filhos sem pai.

escrito em 27-04-2008

3 comentários:

dudv disse...

Belo texto.

Huckleberry Friend disse...

E assim nasceu o nosso mundo. E ainda bem, pois nele há quem saiba contar histórias com impressionante economia de recursos... parabéns!

Gustavo do Carmo disse...

Eu tento escrever um microconto, mas ele acaba se estendendo demais. E o microconto tem mais risco de coincidir o texto com outro.