quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Juízo



Brassaï - la gargouille
 

Quem a via na janela, estática, a sustentar sua cabeça, olhar perdido no espaço, não tinha ideia do peso dos tantos pensamentos que tentavam compensar o resto de seu corpo inútil

23-08-2015

2 comentários:

George Sand disse...

Aie, triste! Sozinha a contemplar o vazio,um corpo em restos,pensamentos atordoantes. Ninguém merece um fim desses.Melhor morrer logo, de bala perdida.Dói menos.

Angela disse...

Há outras formas e valores, melhor pensamentos densos que corpos belos e inúteis.
Grata por sua visita.