terça-feira, 3 de junho de 2014

Pandorga, papagaio, pipa



Garoto pobre, não havia quem lhe desse uma pipa. Com o tempo, teve várias - roubadas, emprestadas, construídas, mas todas acabavam se perdendo- destruídas, emprestadas, roubadas.
Adulto, comarte, devolveu-se sonho. Em sua obra estavam todas de volta, juntas, colorindo a existência.

em 02-06-2014


2 comentários:

Eduardo Oliveira disse...

Maravilhoso!!!

Angela disse...

adoro o trabalho deste moço, mas penso em trocar a imagem para preservar o trabalho dele.
um beijo Dudu!