sexta-feira, 8 de março de 2013

URÓBORO


Diane Arbus. Identical twins
 
 
Pela necessidade de ser indivíduo, uma das gêmeas desenvolveu a doçura, a meiguice e a docilidade. A outra não teve escolha, malévola, rebelde, traiçoeira, se encarregava de afastar a todos para que as duas, a sós, pudessem ser adoráveis uma com a outra, se amando como perfeitas, tão completas como haviam nascido.
 
em 08-03-2013

2 comentários:

dudv disse...

Gostei. Confesso que gostaria de ter escrito este conto.

Desculpa a inveja, viu...

Angela disse...

Ora Dudv, inveja sua é carinho, é coisa boa, é incentivo.
Fico feliz que tenha gostado. Vc já escreveu sobre este tema de muitas outras maneiras...