segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Prazer




Parecia muito triste e infeliz. Na tentativa de mudar,  colecionava momentos de alegria para nutrir a alma. Colheu a gargalhada das crianças, a flor que se abriu para um raio de sol, o riso frouxo dos escolares, o abraço feliz dos amantes e assim passou dias.  Nunca chorou tanto, não controlava o pranto. Mais se emocionava, mais triste ficava. Era este o seu prazer.


escrito em 25-10-2012
 

2 comentários:

dudv disse...

Belo conto. Muitas vezes os sentimentos se misturam.

Angela disse...

sim Dudv. Obrigada sempre.